G1

‘Era uma vez em Hollywood’ tem Tarantino menos ‘matador’; G1 analisa 523 mortes em 10 filmes

Novo filme do diretor empata com ‘Kill Bill: Volume 2’, com apenas 3 vítimas fatais. Maratona com obra do cineasta aponta ‘Bastardos inglórios’ com maior contagem de corpos.

Apesar de ser conhecido pela violência em seus filmes, o diretor Quentin Tarantino pegou mais leve em seu lançamento mais recente. “Era uma vez em Hollywood”estreia nesta quinta-feira (15) no Brasil e é um dos com menor número de mortes de sua carreira.

O cineasta “matou” 523 personagens em ao longo de 10 produções, em levantamento do G1. Na história sobre um ator decadente envolvido em um dos crimes mais famosos do cinema americano nos anos 1960, há três mortes nas mais de 2 horas e 40 minutos. É um número que o deixa empatado com “Kill Bill: Volume 2” (2004).